O seu estilo de vida pode afetar a fertilidade

A chegada de um novo ano sempre traz a expectativa de planos e metas a serem alcançadas. Dentre elas, ter um estilo de vida mais saudável, praticar atividades físicas e se alimentar melhor estão comumente no topo da lista. Mas, além dos benefícios já conhecidos, você sabia que o estilo de vida pode afetar a sua fertilidade?

05/01/2018
Ingerir bebidas alcoólicas, fumar, não praticar atividades físicas ou praticá-las com muita intensidade, dormir pouco, tomar muito café e ter uma dieta desequilibrada são hábitos com impacto importante na fertilidade de homens e mulheres em idade reprodutiva e que podem determinar, inclusive, se alguém poderá ou não ter filhos biológicos.


HÁBITOS SAUDÁVEIS - “No caso das mulheres, tanto a desnutrição quanto o sobrepeso podem afetar diretamente sua função reprodutora. Isso acontece devido ao desequilíbrio hormonal provocado por estes comportamentos, que acaba determinando uma disfunção nos ovários”, explica Hitomi Nakagawa, ginecologista creditada em reprodução assistida da Genesis Brasília.
A prática moderada de atividade física é uma grande aliada para combater problemas de infertilidade. Isso acontece porque ela pode evitar o sobrepeso e auxiliar numa rotina de vida mais saudável. Entretanto, os exercícios físicos não podem ser extenuantes. “Homens que se exercitam de forma moderada apresentam melhores parâmetros espermáticos do que homens que praticam atividade física extenuante ou atletas, por exemplo”, comenta a especialista.
ÁLCOOL E ESTRESSE - O consumo excessivo de bebidas alcoólicas é outro fator que pode influenciar na função reprodutiva de um casal. “Embora não exista nenhum estudo conclusivo sobre o assunto, a recomendação para as mulheres é que o consumo de álcool seja cortado durante o período pré-concepcional, devido às consequências e malformações que podem produzir ao bebê”, afirma Hitomi Nakagawa.
Além desse fator, embora a relação do estresse com a infertilidade nos homens seja de difícil comprovação científica, evidencia-se que ele pode diminuir a concentração espermática, a capacidade de se moverem e a morfologia dos espermatozoides. Quanto às mulheres, o estresse excessivo pode acabar alterando a função do hipotálamo, que controle hormonalmente o sistema reprodutivo, e pode culminar em alterações menstruais e ovulatórias. Nesse contexto, práticas que diminuem o estresse, como atividade física ou terapias psicológicas, poderiam melhorar as taxas de gestação.
A GENESIS - A Genesis é uma clínica de reprodução humana que conta com mais de 30 profissionais capacitados na área. Os médicos participam ativamente da formação de novos colegas e parte deles ocupa ou já ocupou cargos importantes nas sociedades de especialidades e entidades ligadas à área da reprodução assistida, como o Conselho Federal de Medicina (CFM), a Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), Sociedade, Brasileira de Reprodução Humana (SBRH), Federação Brasileira da Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), Rede Latinoamericana de Reprodução Assistida (Redlara).
Com 25 anos de atuação, a Genesis - Centro de Assistência em Reprodução Humana conta com profissionais especializados, formados nos principais centros acadêmicos do mundo para prestar serviços de excelência na área de reprodução humana assistida. Com uma ampla experiência, a equipe Genesis busca constantemente a qualidade em medicina reprodutiva agregando conhecimento e tecnologia e primando pela assistência ética, personalizada, com confidencialidade e foco no melhor resultado para cada caso.
Por Larissa Sampaio
Conversa Coletivo de Comunicação Criativa

 

Informações de Contato

Endereço:
SHLS 716 - Cjto "L"
Centro Clínico Sul - Torre 1
Ala Leste - Salas "L" 328/331
Brasilia - DF

Email:
genesis@genesis.med.br

Telefax:
+55 (61) 3345-8030

A Clínica

CNPJ:
37137064/0001-49

Inscrita no CRM sob nº 2.1-DF 570-09

Responsável Técnico:
Drª. Hitomi Miura Nakagawa
CRM 4863 DF

Receba nossas novidades!

Acompanhe nas redes sociais